quarta-feira, 15 de abril de 2009

Enquanto não posto (?) nenhum texto relativamente decente, vão brincando com esses simpáticos testes.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

ATAQUE DE NOSTALGIA

Eu não entendo bem, mas ultimamente eu ando ainda mais saudosista do que comumente sou. Ando revirando livros velhos, ouvindo músicas e vendo filmes que muita gente da minha idade já deve ter esquecido e me pego sempre falando "na minha época..."

Enquanto escrevo esse texto mínimo, ouço muitas e muitas vezes (no Repeat) uns cds que eu fiz para viajar. Não no sentido literal, mas viajar pelas minha lembranças. Cindy Lauper, The Police, INXS, Iggy Pop, B52`s, Bruce Springsteen, Tears for Fears, Pet Shop Boys, Depeche Mode, Oingo Boingo, Information Society, Talking Heads, The Smiths, A-HA, R.E.M, The Pretenders, Duran Duran, New Order, Yes, David Bowie, Simple Minds, Alphaville. Isso além das inesquecíveis bandas de um sucesso só: Gazebo (I like Chopin), Huey Lewis & The News (The Power of love), Falco (Rock me Amadeus), Pseudo Echo e Lipps Inc. (Funky Town), Kenny Loggins (Footloose), The Bangles (Walk like an Egyptian), Peter Cetera (Glory of Love), Wham! (Wake me up before you go go), The Buggles (Video kill the radio star) e The Bolshoi (Sunday Morning). E nem mencionei as bandas nacionais, heim! Vai soar muito cliché, mas eu acabo virando criança cada vez que escuto essas músicas. Graças a Deus eu não preciso ouvir Xuxa (eca) para reviver a minha infância.

Foi então "delirando" com esse ataque oitentista que resolvi deixar aqui - a quem interessar possa, para um passante qualquer que aqui acabar caindo num desses desvios da Internet – um apanhado de ícones que marcaram definitivamente (e ainda se fazem muito presentes) a minha vida. E sei que, bem no fundinho, marca ainda a vida de muitos quase trintinhas como eu.


Algumas observações relevantes:

1) Lógico que não poderia ficar de fora o Micheal Jackson, afinal de contas, seus maiores trabalhos (na minha modesta opinião) Off The Wall (ainda que de 1979), Bad e Thriller continuam vendendo como água no deserto! Mas, tirando a parte comercial, esses discos mudaram a música e a cultura pop para sempre.

2) O sorriso do Bruce Springsteen é irresistível!! =P

3) Cindy Lauper está uma senhorinha muito simpática (com a cara meio repuxadinha, é verdade), mas ainda conserva aquele ar "girls just wanna have fun".

4) O Sting nunca envelhece?

5) Qual menina daqueles tempos nunca suspirou pelo Morten?

6) Orzabal e Smith (Tears for Fears) viraram uns coroas bonitões, mas parece que está meio complicado deles fazerem as pazes... =/


Além do Balão Mágico, que era básico para a molecadinha, eu tinha uma fita K7 que ganhei de presente de um primo, cheia de rock nacional. Até hoje eu fico pensando por que ele presenteou uma pirralha de uns 5, 6 anos com uma fita que tinha Titãs, Biquíni Cavadão, RPM, Blitz, Kid Abelha e os Abóboras Selvagens, Legião Urbana, Ira!, Engenheiros do Hawaii e Ultraje a Rigor. Seja lá quais tenham sido suas razões, ele me fez um favor. Porque depois disso, essas bandas nunca mais saíram da minha cabeça. As primeiras que aprendi foram Sonífera Ilha (Titãs), Pintura Íntima (Kid), Tédio (Biquini), o Papa é Pop (Engenheiros) e a galinha Mary Lou (Ultraje) que meus primos mais velhos repetiam tantas vezes e davam risada. Muita coisa que eu cantava, eu não entendia. A única certeza que eu tinha era que eu estava adorando aquilo!

Os mais jovens (e ainda meio bobos) falam que o rock nacional dos anos 80 era uma bela porcaria. Eu nem tento convencer ninguém do contrário. Eles jamais terão noção do seu infortúnio de haverem nascido em tempos desses NX Zeros da vida...

TO BE CONTINUED...